ForaDeJogo.net - Benfica 2009/2010


Nome:
Pass:
Registo Recuperar
.



Sport Lisboa e Benfica
Nome: Benfica
Associação: AF Lisboa
Cidade: Lisboa
Estádio: Luz
Ano de fundação: 1904
Sede: Avenida General Norton De Matos
1500-313 - Lisboa
Web: www.slbenfica.pt
Plantel 2009/2010
<<   >>
Treinadores
T Jorge Jesus
Staff
Miguel Quaresma(ADJ), Minervino Pietra(ADJ), Rui Águas(OBS)
Entradas
Fábio Coentrão (21)Rio Ave (I)
Saviola (27)Real Madrid   (I)
Javi García (22)Real Madrid   (I)
César Peixoto (29)Sp. Braga (I)
Ramires (22)Cruzeiro   (A)
Júlio César (22)Belenenses (I)
Luís Filipe (30)Vitória Guimarães (I)
Weldon (28)Sport Recife   (A)
Alan Kardec (20)Internacional PA   (A)
Roderick (18)Benfica (JUN)
Felipe Menezes (21)Goiás   (A)
Airton (19)Flamengo   (A)
Shaffer (23)Racing Avellaneda   (I)
Keirrison (20)Palmeiras   (A)
Éder Luís (24)Atlético Mineiro   (A)
Liga Sagres
Guarda-redes Defesas Médios Avançados
1Moreira5Rúben Amorim2Airton16Urreta
12Quim14Maxi Pereira6Javi García18Fábio Coentrão
13Júlio César22Luís Filipe26Yebda20Di María
  3Shaffer17Carlos Martins32Éder Luís
  16Jorge Ribeiro8Ramires7Cardozo
  25César Peixoto10Aimar9Mantorras
  4Luisão24Felipe Menezes11Keirrison
  15Roderick  19Weldon
  23David Luiz  21Nuno Gomes
  27Sidnei  31Alan Kardec
  28Miguel Vítor  30Saviola
O regresso à GlóriaJoão Camara

Uma equipa que numa época, para os campeonatos de hoje, só perde seis jogos não pode ser questionada. Uma equipa que derrota o Liverpool, Marselha, Porto, Sporting e Sporting de Braga numa época, não pode ser questionada. Uma equipa que teve um plantel com profundidade suficiente para aguentar uma época, a um nível elevado, não pode ser questionada. Podíamos falar do treinador, do futebol ofensivo de qualidade, dos estádios cheios e até do reaparecer do Benfica à Benfica e nada disso deveria ser questionado. Mas a esta distância creio que o ruído que houve em torno da equipa, ao longo da época, ofusca ligeiramente aquilo que, por direito, foi conquistado dentro dos relvados. O burburinho em torno dos "túneis" faz lembrar as "frutas" e os "sistemas", que relembram uma certa old school. Agora, como na altura, cada um apela àquilo que a cor da camisola sugere. A meu ver os cães ladram mas a caravana vai continuar a passar. No fim apenas o "caneco" interessa. O ladrar surdo da revolta apenas serve para avisar que mais e melhor deveria ser feito. O mais e melhor que foi feito na Luz.

Neste Benfica tudo correu pelo melhor. Rui Costa, responsável pelo futebol, planeou o plantel com cuidado, e apesar de uma ou outra desilusão dotou o treinador de mão-de-obra de excelente qualidade. Jorge Jesus, o treinador que, à sua forma, blindou o plantel ao exterior e exigiu dos seus homens sempre aquilo que não era possível conseguir. A estrelinha de campeão que, mesmo quando a força dos números não chegava, conseguia o golo salvador contra o adversário mais difícil. E por fim uma débil concorrência demasiado concentrada nos poucos defeitos deste Benfica para ver que o verdadeiro problema eram eles mesmos.

Levados ao colo por todos estes factores o Benfica foi crescendo dentro de campo, atingindo novas dimensões, trucidando adversários e empolgando adeptos. Os jogadores exibiam sempre um nível altíssimo, mas quando algum vacilava elevavam-se imediatamente novas figuras para o compensar. Javi Garcia, Ramires e Aimar foram os primeiros a impressionar, e quando o desgaste e as mazelas se abateram sobre estes Ruben Amorim, Carlos Martins e Saviola souberam dizer presente! com convicção. David Luiz e Luisão foram garantias de segurança na retaguarda, Di Maria afirmou-se finalmente como o desequilibrador que se esperava e Cardozo foi goleador-mor a tempo inteiro, o ponto de concretização do futebol atractivo gerado pela trituradora encarnada. Com o decorrer das semanas foi-se formando uma onda vermelha à vista das quais os adversários tremiam, em Portugal ou na Liga Europa - apenas o surpreendente Braga pareceu indiferente e capaz de dar réplica na luta pelo título, segurando-se na liderança do campeonato durante meia temporada e conseguindo adiar para a última jornada uma decisão definitiva a esse respeito.

No entanto a esta máquina de Jorge Jesus faltou o sucesso Europeu. Os meros quartos-de-final sabem a muito pouco e não ajudam a equipa a dar o salto de uma época boa para uma época histórica. Mas para já basta o título, sendo agora necessário sedimentar processos e estruturas para quebrar com a história recente de fracasso e fazer face aos próximos desafios. É que para o ano haverá Braga e mais FC Porto e Sporting.

Momento Chave: Benfica 2 - 0 Sporting

Este foi, a meu ver, o momento chave da época. Após derrota pesada em Liverpool, uma derrota em Alvalade poderia fazer tremer os alicerces mais fundos da estrutura benfiquista. Mas não, a resposta em campo foi à altura! Uma vitória suada mas firme e a certeza que, após este jogo, ficava a faltar ultrapassar dois jogos fáceis em casa, uma ida a Coimbra e o complicado Estádio do Dragão. Cardozo e especialmente Aimar assumiram a responsabilidade de colocar o título ao fundo do túnel.

Figura: David Luiz

Trata-se de um jogador simplesmente fantástico! A forma como é capaz de actuar com regularidade, segurança e classe, em qualquer posição do sector defensivo, fascina qualquer adepto. Há a realçar alguma agressividade mas que apenas pode ser vista como negativa por parte de quem, como eu, não o vê com a cor do seu clube. A entrega que os seus 23 anos dão ao jogo e o amor à camisola com que actua fazem prever um excelente negócio para os lados da luz. Creio que é uma questão de timing para que, caso corra como se espera, David Luiz dê o salto para um gigante do país vizinho.

Revelação: Fábio Coentrão

Nunca apreciei o antigo extremo de Vila do Conde. Não o considerava propriamente vistoso ou excepcional a fazer o que quer que fosse. Olhei com duvida o seu regresso ao Benfica e, sinceramente, não consigo precisar o momento em que este dá o salto em qualidade. No entanto torna-se fascinante ver, por alturas do Mundial, este jogador a alinhar a lateral com a entrega com que o faz, galgando metros para a frente, cruzando com precisão e roendo os calcanhares a adversários. E assim, por força da sua qualidade transformou uma das poucas lacunas posicionais da equipa num dos seus pontos fortes. Foi mais uma aposta ganha de Jorge Jesus que viu assim o seu plantel valorizar-se, de dentro para fora, com um grande activo.

Decepção: Keirrison

Tapado por uma concorrência feroz nunca pareceu conseguir dar o melhor de si em campo. Vinha do Brasil com fama de goleador mas a falta de minutos de jogo e actuações muito pouco conseguidas ditaram a sua saída precária do Benfica. Levanta-se a questão se não será outro avançado Brasileiro que, em Portugal, passa por fraco e depois vai conquistar a Europa e o Mundo qual Luís Fabiano.


Quem somos1 Contactos Agradecimentos Detectou um erro ou tem uma sugestão?
ForaDeJogo.net 2010