ForaDeJogo.net - U. Leiria 2007/2008


Nome:
Pass:
Registo Recuperar
.



União Desportiva de Leiria
Nome: U. Leiria
Associação: AF Leiria
Cidade: Leiría
Estádio: Dr. Magalhães Pessoa
Ano de fundação: 1966
Sede: Avenida Herois Angola (Galerias Alcrima)
Apartado 3074
2401-904
Web: www.uniaodeleiria.pt
Plantel 2007/2008
<<   >>
Treinadores
T Vítor Oliveira
Paulo Duarte
Entradas
Tiago (31)Boavista (I)
Éder Gaúcho (29)Sertãozinho (SP)   (C)
Toñito (30)Rijeka   (I)
João Paulo (27)Paços de Ferreira (I)
Bruno Miguel (24)Varzim (II)
Maciel (28)Sp. Braga (I)
Patrick (26)Ituano   (B)
Harison (27)Goiás   (A)
Ferreira (28)Náutico   (A)
André Marques (19)Olivais e Moscavide (II)
Nélson Sousa (23)Estoril Praia (II)
Arvid (26)Marítimo B (II B)
Lukasiewicz (24)Elche   (II)
Zongo (22)Msida   (I)
Dani (23)Odivelas (II B)
Jessuí (24)Serrano  
Rafael Fava (24)Juventus SP   (C)
Marcelinho (28)Náutico   (A)
Liga Bwin.com
Guarda-redes Defesas Médios Avançados
1Fernando5Éder15Faria18Sougou
12Alemão25Laranjeiro20Marco Soares28Zongo
24Rafael Fava35André Marques26Nélson Sousa7N'Gal
  80Patrick27Arvid19Maciel
  3Lukasiewicz66Tiago9Paulo César
  4Hugo Costa14Alhandra13Ferreira
  17Renato11Cadu30João Paulo
  23Bruno Miguel21Toñito99Marcelinho
  55Éder Gaúcho22Dani32Jessuí
    77Harison  
Da Intertoto à VitalisJorge Carneiro

Mesmo sendo das equipas com menor apoio da sua cidade e que menos gente arrasta para os seus jogos, a União de Leiria conseguiu nos últimos tempos afirmar-se como emblema de topo no futebol português. Por exemplo, esta época que findou foi a sua 10ª consecutiva na primeira divisão, sendo que nas nove anteriores nunca teve quaisquer problemas para garantir a manutenção e frequentemente chegando mesmo a lutar pelos lugares europeus. A obrigação de antecipar o início dos seus trabalhos com vista à participação na taça Intertoto (algo já habitual no clube), e a necessidade adicional de se preparar para uma época longa dividida por quatro frentes (campeonato, taça da liga, taça de Portugal, competições europeias) ditaram que o clube apostasse em jogadores já com experiência no futebol português, casos de Toñito, Tiago, Éder e Maciel, a que se juntavam a jogadores chave da época anterior que transitavam para o novo ano, como Fernando, Renato, Éder, Paulo César e Sougou, entre outros.

A estratégia pareceu dar passos seguros no caminho certo com a equipa - ainda numa fase embrionária de preparação - a superar os dois primeiros obstáculos que teve tanto na Intertoto como na taça UEFA, alcançando assim a fase de grupos. Enquanto isso no campeonato os indicadores eram igualmente positivos: 3 empates nos 5 primeiros jogos, com derrotas nos dois restantes que no entanto foram amenizadas pelo facto do primeiro carrasco se chamar FC Porto, enquanto o segundo envolveu uma deslocação no Restelo num jogo em que o Leiria até esteve a ganhar. Na taça da Liga a equipa desembaraçou-se com relativa facilidade do Leixões em pleno Estádio do Mar; e de regresso à Taça UEFA é de destacar a resistência notável oferecida a um muito mais poderoso Bayer Leverkusen. Muitos destes resultados eram conseguidos muito por conta de um João Paulo em grande forma e que em apenas meia época apontou 11 golos em todas as competições, claramente uma das grandes revelações da primeira metade da temporada em Portugal.

Mas então o que terá acontecido posteriormente? Principalmente terão sido razões de ordem psicológica a afectar a equipa; enquanto andou \"entretida\" nas outras competições deu sempre a ideia de terem relegado o campeonato para um temporário segundo plano, confiantes que poderiam reverter facilmente a situação num momento posterior como aliás já haviam feito por várias vezes anteriormente. Nada mais simples, excepto que terminada a participação nas outras frentes a equipa verificou que a ansiada recuperação não seria tão fácil como previsto, e o facto da primeira vitória demorar a surgir começou a pesar no espírito dos leirienses que passaram a jogar sobre brasas, começando paulatinamente a afundar-se numa espiral de derrotas e desmotivação de que já não conseguiram sair. Para esta situação muito terá contribuído também a direcção - sobretudo na pessoa do seu presidente - que lançou constantemente gasolina para a fogueira. Choveram processos disciplinares, na sua maioria discutíveis, e criticas às exibições da equipa através da imprensa, a que se juntaram ainda ameaças de corte nos salários; quando um simples apelo à serenidade e uma ou duas conversas de balneário mais serenas teriam sido certamente mais úteis do que a política suicida adoptada. Fora este handicap, note-se que de cada vez que tinha pela frente um adversário com mais nome a União parecia motivar-se e amíude conseguia resultados surpreendentes. Exemplos disso são as vitórias em braga, os empates na Luz e em Alvalade e sobretudo a fantástica vitória por 4-1 sobre o vice-campeão Sporting.

Momento Chave: Vit. Guimarães 2-1 U. Leiria

Com uma primeira parte de luxo que incluiu mais um golo de João Paulo, a União de Leiria chegou ao intervalo a vencer a grande revelação da época, resultado que colocaria os leirienses acima da linha de água e que certamente traria a tranquilidade necessária à equipa. No entanto, uma entrada mais forte do Vit. Guimarães na segunda parte aliada a uma arbitragem infeliz deitou por terra as ambições da União, que acabou até por ceder a derrota já nos descontos. Nessa noite Mrdakovic e o jovem Rabiola foram os grandes carrascos do Lis...

Estrela: Harison

Apesar de ter regressado à equipa numa altura em que a época já estava decidida Harison conseguiu ainda assim ser a sua figura de maior destaque, sendo dos poucos (juntamente talvez com N\'Gal) que não partiram antecipadamente ou que não entraram na espiral de conformismo que se abateu sobre a equipa. Muitos dos resultados surpreendentes do Leiria na segunda volta tiveram o carimbo do seu futebol geométrico e calculista, até porque não raras vezes pareceu o único jogador em onze que efectivamente pretendia ganhar os seus jogos.

Revelação: João Paulo

É incomum a revelação de um plantel ser um jogador tão experiente quanto João Paulo. Já lá vão quase 10 anos no futebol profissional sem nunca alcançar notoriedade, sendo que até hoje (tirando os 5 golos anotados na 2ª B pelo Feirense, em 99/2000) o máximo de golos que tinha conseguido facturar na mesma época não ultrapassava os 3. Esta época no entanto João Paulo denotou uma grande evolução tanto a nível físico quanto psicológico e surgiu totalmente diferente, agora muito mais possante e sobretudo muito mais eficaz. Foi o abono de família da equipa na primeira metade da época, apontando 8 golos em meia época e sendo alguns deles de belo efeito - acabou até por disfarçar algumas carências do Leiria que apenas se acentuariam após a sua partida. Na re-abertura do mercado saiu rumo a um contrato bastante apelativo na Romenia, e bem que o mereceu.

Decepção: Maciel

O passado de Maciel já demonstrou que este não é um jogador fácil, precisando de sentir confiança e serenidade em toda a sua envolvente para poder demonstrar o muito que pode e que sabe. Infelizmente, confiança e serenidade que foram coisas que faltaram para os lados de Leiria, e não somente esta época... Regressado ao clube depois de uma saída algo intempestiva no Verão de 2006, Maciel era a grande aposta da direcção para esta nova temporada, que pretendia fazer dele a figura do plantel e talvez até um dos líderes do balneário. No entanto após algumas exibições razoáveis foi perdendo rendimento (tal como a equipa) acabando vítima de um processo disciplinar muito mal explicado pela direcção de João Bartolomeu, à imagem de outros colegas.


Quem somos1 Contactos Agradecimentos Detectou um erro ou tem uma sugestão?
ForaDeJogo.net 2010