ForaDeJogo.net - Paços de Ferreira 2010/2011


Nome:
Pass:
Registo Recuperar
.



Futebol Clube Paços de Ferreira
Nome: Paços de Ferreira
Associação: AF Porto
Cidade: Paços de Ferreira
Estádio: Mata Real
Ano de fundação: 1950
Sede: Rua Capitão Praça
Apartado 26
4594-909 Paços de Ferreira
Web: www.fcpf.pt
Plantel 2010/2011
<<   >>
Treinadores
T Rui Vitória
Staff
Serginho Botelho(ADJ), Pedro(GR)
Entradas
David Simão (20)Fátima (II)
Rondón (24)Beira-Mar (II)
Bura (21)Penafiel (II)
Javier Cohene (23)Sportivo Luqueño   (I)
Nélson Oliveira (18)Rio Ave (I)
Nuno Santos (30)Santa Clara (II)
Caetano (19)FC Porto (JUN)
Pedro Queirós (25)Oliveirense (II)
Ozéia (28)Grêmio PA   (A)
Amond (22)Sligo Rovers   (I)
Samuel (22)Atlético Mineiro   (RES)
Alvarinho (19)Farense (III)
Lucas (20)CE Aimoré   (II E)
Carlos Renan (27)Bangu   (I E)
Liga ZON Sagres
Guarda-redes Defesas Médios Avançados
1Cássio15Baiano6Paulo Sousa37Carlitos
45António Filipe20Pedro Queirós8André Leão81Manuel José
84Coelho14Jorginho16Leonel Olímpio7Maykon
  2Ozéia96Filipe Anunciação11Caetano
  4Samuel30Bruno di Paula17Nuno Santos
  5Javier Cohene10David Simão19Rondón
  13Bura  31Pizzi
  40Carlos Renan  70Alvarinho
      9Romeu Torres
      24Nélson Oliveira
      21Amond
      77Lucas
Renovados e aprovadosRui Miguel Abreu

A época do Paços de Ferreira foi a todos os títulos surpreendente. Desde logo porque a estrutura do futebol era nova. Uma direcção nova, um director desportivo novo e sem experiência, e um treinador que nunca havia treinado na primeira liga. A isto juntou-se um dos plantéis mais jovens de sempre do clube. As expectativas não eram as mais altas mas a verdade é que finda a época, apenas sobram motivos de orgulho.

O inicio da campanha foi prometedor com uma vitória em casa diante o Sporting. O futebol praticado não era ainda o mais vistoso, mas já algumas individualidades se começavam a destacar, em particular o extremo Caetano. O primeiro revés da época surge em Setúbal à sexta jornada, quando o Paços perdeu pela primeira vez e perdeu Caetano por cerca de meia época. Mas nesta altura, o grande motivo de preocupação era a defesa. Os centrais não davam garantias de segurança, e era por demais evidente que o Paços precisava de um patrão na defesa. Cohene e Samuel mostravam alguma qualidade, mas não conseguiam ter um controlo da defesa como tiveram em outras épocas, Ricardo, Geraldo, etc. Felizmente, o retorno de Ozeia em Janeiro veio dar a solidez defensiva que o Paços tanto precisava. Coincidência ou não, Janeiro foi o melhor mês da época, onde o Paços não perdeu um único jogo, destacando-se as vitórias por 2-3 em Alvalade e 1-2 em Braga. Ao mesmo tempo, na Taça da Liga, o clube brilhava vencendo Arouca, Braga e Vitória, assegurando um lugar na meia final.

Na liga o Paços chegou a estar em 4.º lugar e ameaçar o 3.º do Sporting. No entanto, depois da fantástica vitória no Nacional da Madeira que assegurou a presença na final de Coimbra, a equipa passou pela pior fase da época, tendo estado 6 jogos consecutivos sem ganhar, entre os quais, o desastroso 1-6 frente ao Rio Ave. "À boca pequena" dizia-se que o Paços baixara propositadamente a forma para não se ver envolvido na luta pela UEFA. A verdade é que o tiro no pé do nosso presidente ao dizer que estávamos inscritos quando realmente não estávamos, acabou por ser um pouco nefasto para a equipa.

Resumindo, o 7.º lugar é muito mais do que se esperava, mas depois do que se viu ao longo da época, acabou por saber a muito pouco.

O momento: Final da Taça da Liga - Benfica 2-1 Paços de Ferreira

A final da Taça da Liga, foi marcante para todo o plantel e adeptos, mas infelizmente o troféu fugiu aos castores. Depois de uma primeira parte algo decepcionante dos castores, o Paços teve uma segunda parte fantástica e merecia pelo menos a lotaria dos penalties. As ultimas 3 jornadas mostraram novamente aquele Paços que havíamos visto em Janeiro e Fevereiro. As vitórias caseiras frente a Guimarães e Académica (esta ultima por números avassaladores) e o fantástico empate no Dragão, onde toda a gente havia perdido esta época.

A figura: Pizzi

Em termos individuais, a figura acabou por ser Pizzi. O extremos já tinha dado provas do seu valor, mas esta época fez com que o mundo futebolístico acordasse de vez para o seu valor. Não só pelos golos e assistências, mas pela qualidade do drible e passe que demonstrou ao longo da época. A nós pacenses, fica a pena de ver sair um grande jogador, e saber que o Braga ganhará milhões com ele sem que ele tenha sequer vestido a camisola da equipa sénior do Braga. Mas o futebol moderno é assim mesmo...

A revelação: Rondon

Já Rondon, merece o titulo de revelação. Por certo, ninguém imaginaria no inicio da época, a performance que o venezuelano acabou por ter. Quem o viu jogar em 2009/10 em Paços e viu as suas prestações no seu empréstimo ao Beira Mar, por certo não contava com os golos e exibições de Rondon. Adaptado a avançado (recordo que foi contratado como extremo), Rondon teve a felicidade de marcar logo na 1.ª jornada, e logo aí ganhar alguma vantagem sobre os pontas de lança que o plantel tinha (Nelson Oliveira, Amond e Romeu Torres). Agora resta saber, caso continue no Paços, se Rondon poderá deixar de ser revelação e passar a ser figura!

A desilusão: Bura

Por ultimo, a desilusão. O titulo terá que ir para Bura. O central vindo por empréstimo do FC Porto, foi na minha opinião a maior desilusão. O estatuto de internacional por Portugal (nos escalões jovens) criou alguma expectativa. A verdade é que foram defraudadas quando finalmente se viu o jogador em acção. Muito inseguro, com uma má qualidade de passe, não vai deixar saudades na Mata Real. Pelo menos enquanto os adeptos se lembrarem daquele Paços 1-6 Rio Ave...

 

Rui Miguel Abreu

www.castores1950.blogspot.com


Quem somos1 Contactos Agradecimentos Detectou um erro ou tem uma sugestão?
ForaDeJogo.net 2010