ForaDeJogo.net - Leixões 2007/2008


Nome:
Pass:
Registo Recuperar
.



Leixões Sport Clube
Nome: Leixões
Associação: AF Porto
Cidade: Matosinhos
Estádio: Mar
Ano de fundação: 1907
Sede: Rua Roberto Ivens, 528
Apartado 84
4451-997
Web: www.leixoessc.pt
Plantel 2007/2008
<<   >>
Treinadores
T António Pinto
Carlos Brito
Entradas
Paulo Machado (21)U. Leiria (I)
Filipe Oliveira (23)Marítimo (I)
Ezequias (26)Beira-Mar (I)
Vieirinha (21)FC Porto (I)
Diogo Valente (22)Marítimo (I)
Castanheira (29)Sp. Braga (I)
Nuno Diogo (26)Penafiel (II)
Jorge Batista (30)Gil Vicente (II)
Livramento (25)Boavista (I)
Jaime Jr. (28)Racing Ferrol   (II)
Paulo Vinícius (22)Santa Clara (II)
João Moreira (21)Nacional (I)
Nwoko (22)Marsaxlokk   (I)
Tales (25)South China   (I)
Liga Bwin.com
Guarda-redes Defesas Médios Avançados
1Beto2Rúben Ribeiro14Bruno China17Vieirinha
12Jorge Batista20Marco Cadete16Paulo Vinícius19Jorge Gonçalves
24Marco Sousa23Filipe Oliveira25Jorge Duarte11Diogo Valente
  3Ezequias6Paulo Machado18Nwoko
  26Nuno Amaro8Pedro Cervantes21Livramento
  4Elvis22Castanheira9Roberto
  5Nuno Diogo7Hugo Morais15João Moreira
  13Joel10Cadinha28Tales
  27Nuno Silva29Jaime Jr.  
O Regresso dos bebés do MarFernando Dias

Após 18 anos perdido nas divisões secundárias (e ainda assim sempre acompanhado por uma fiel massa associativa) o centenário Leixões Sport Clube garantiu na época 2006/2007 o regresso ao convívio entre os grandes do futebol Português. Sendo Vítor Oliveira um dos principais obreiros do regresso ao primeiro escalão, era desejo da Direcção e dos adeptos Leixonenses que o Mister permanecesse ao leme da equipa de Matosinhos. Surpreendentemente, Vítor Oliveira (que até tem o próprio Leixões como Clube de coração) recusou o convite feito pela SAD para renovar contrato. Perante esta inesperada recusa a SAD é obrigada a procurar um novo treinador e elege Carlos Brito (treinou vários anos o Rio Ave) para o lugar. O objectivo para a primeira época é a manutenção, até porque o orçamento disponibilizado é dos mais baixos da BWinLiga. É mantida a espinha dorsal do plantel da temporada anterior e reforça-o com jogadores como Filipe Oliveira (Internacional Sub-21), Nuno Diogo (ex-Penafiel) e os mais sonantes e também mais polémicos Ezequias, Paulo Machado, Diogo Valente e Vieirinha provenientes por empréstimo do Futebol Clube do Porto. Esta aproximação ao clube da cidade vizinha do Porto é contestada por vários sectores da massa adepta Leixonense devido à rivalidade existente, de tal forma que o Presidente da SAD Carlos Oliveira pondera o pedido de demissão. A equipa é assente num claro 4x3x3, com os 4 defesas, no meio campo com 2 médios mais defensivos e um terceiro mais à frente no apoio aos 3 homens da frente (2 extremos e 1 ponta de lança). O Leixões arranca com um empate prometedor no Bessa (casa emprestada) frente ao Benfica já nos descontos de tempo e que custa o lugar a Fernando Santos. A equipa surpreendentemente nos primeiros jogos parece não acusar a falta de experiência de 1ª Divisão da maioria dos seus jogadores e alia pontos preciosos a boas exibições. No que alguns poderão ver um maior pragmatismo da equipa em alcançar pontos e outros poderão ver falta de coragem para ambicionar algo mais, a equipa Matosinhense vai coleccionando empates tanto em casa como fora. O que inicialmente pareciam ser bons resultados começa-se a revelar ser insuficiente pois as vitórias que poderiam descolar a equipa dos últimos lugares não surgem e começa-se a sentir alguma contestação ao treinador.

No mercado de Inverno surgem os reforços Castanheira, João Moreira (emprestados por SC Braga e Valência respectivamente) e Jaime. Destes, apenas Castanheira viria a revelar-se efectivamente como opção. A falta de vitórias continua e quando o Leixões perde na Figueira contra a Naval na 22ª jornada a contestação é de tal forma que Carlos Brito é demitido, sendo o até então adjunto António Pinto promovido a treinador principal. Pinto mantém o 4x3x3, faz mexidas pontuais no 11 titular procurando sobretudo recuperar a equipa do ponto de vista psicológico. No entanto os resultados não melhoram e a vitória em Leiria por 1-3 revela-se um balão de oxigénio devido à recuperação do Paços de Ferreira que "encosta" ao Leixões. Tudo é decidido de forma bastante emotiva na última jornada do campeonato, na qual bastava empatar em casa contra o Marítimo para garantir a manutenção. Não o conseguiram e só um golo salvador da U. Leiria já em descontos de tempo permitiu garantir a permanência.

Momento Chave: U. Leiria - Paços de Ferreira

Poderá parecer estranho, mas o momento chave da época escolhido não envolve directamente o Leixões... à entrada para a última jornada a equipa do "Mar" dependia apenas de si própria para carimbar a manutenção, bastando para isso empatar em casa frente ao Marítimo. Mas nesse jogo decisivo os jogadores nem os serviços mínimos asseguraram e terminaram o jogo com uma derrota e os ouvidos no relato do jogo em Leiria. O "milagre" aconteceu ao minuto 93 desse jogo: o Leiria marca, empata o jogo e, consequentemente, mantém o Leixões no convívio entre os grandes.

Estrela: Beto e Jorge Gonçalves

Para os mais atentos às divisões secundárias a qualidade demonstrada pelo guarda-redes Beto e pelo extremo Jorge Gonçalves não foram surpresa. As dúvidas incidiam apenas na falta de experiência de 1ª Divisão (foi a estreia para ambos) e na juventude. Dúvidas essas desfeitas após uma época de grande nível, ao ponto de se falar de Beto como opção de futuro (e até de presente) para guarda-redes da Selecção Portuguesa e na cobiça de Clubes com ambições Europeias em ambos os jogadores. Será muito difícil segurá-los no "Mar", restando a consolação da compensação financeira pois ambos têm contrato.

Revelação: Bruno China

Apesar de na época de subida da Liga Vitalis já ser uma opção regular, a verdade é que China (como é conhecido no "Mar") não se tinha ainda assumido como jogador titularíssimo. Na época de estreia na BWinLiga exibiu-se a grande nível como médio mais defensivo e conquistou esse estatuto, tendo apenas falhado um jogo do campeonato e por castigo. As suas exibições valeram-lhe a atenção de outros clubes e será outro jogador que o Leixões vai ter dificuldades em segurar. De realçar ser um "Bebé" (jogador formado nas camadas jovens do Leixões).

Decepção: Nwoko e Vieirinha

Nwoko foi apresentado como tendo sido uma contratação de grande futuro e deu logo nas vistas ao apontar o 1º golo do Leixões na temporada 2007/2008, no Bessa contra o Benfica. O Internacional Maltês continuou a ser opção, mas progressivamente foi perdendo influência e passou a suplente e até a não convocado. Em Dezembro falou-se numa ida certa para o Reading da Premier League que permitiria um bom encaixe financeiro ao Leixões, mas não se veio a concretizar. Tem contrato com o Leixões e espera-se que na próxima época seja capaz de confirmar as boas indicações que deu no início da época que terminou.

Vieirinha foi o jogador emprestado pelo FC Porto que esteve em maior evidência nos primeiros jogos, mas após a sua expulsão infantil no jogo da 3ª jornada frente ao V. Guimarães (jogo em que marcou um golaço) não mais voltou a ser opção regular, tendo alternado entre o banco de suplentes e a bancada. Talento não lhe falta, falta-lhe crescer como homem para ser um jogador de sucesso.


Quem somos1 Contactos Agradecimentos Detectou um erro ou tem uma sugestão?
ForaDeJogo.net 2010