ForaDeJogo.net - Sp. Braga 2007/2008


Nome:
Pass:
Registo Recuperar
.



Sporting Clube de Braga
Nome: Sp. Braga
Associação: AF Braga
Cidade: Braga
Estádio: Estádio AXA
Ano de fundação: 1921
Sede: Estádio Municipal De Braga
Apartado 12
4711-909
Web: www.scbraga.pt
Plantel 2007/2008
<<   >>
Treinadores
T António Caldas
Manuel Machado
Jorge Costa
Staff
José Augusto(ADJ), Jorge Vital(GR)
Entradas
João Pereira (23)Gil Vicente (II)
César Peixoto (27)Espanyol   (I)
Zé Manel (32)Boavista (I)
Jorginho (30)FC Porto (I)
Linz (25)Boavista (I)
Miguelito (26)Benfica (I)
Roberto Brum (28)Académica (I)
João Tomás (32)Al Rayyan   (I)
Kieszek (23)Polonia Varsóvia   (II)
Contreras (28)Celta   (II)
Matheus (24)Vitória Setúbal (I)
Jaílson (26)Corinthians   (A)
Anilton Júnior (26)Aves (I)
Stélvio (18)Sp. Braga (JUN)
Hussain (23)Al Rayyan   (I)
Ricardo Ferreira (17)Sp. Braga (JUN)
Bruno Tiago (26)Gil Vicente (II)
Lenny (19)Fluminense   (A)
Vítor Hugo (19)Sp. Braga (JUN)
Abdou (18)Sp. Braga (JUN)
Philco (18)Atlético Paranaense   (JUN)
Breno (20)Vasco da Gama   (A)
Liga Bwin.com
Guarda-redes Defesas Médios Avançados
1Paulo Santos47João Pereira5Roberto Brum7Jorginho
12Dani Mallo13Carlos Fernandes6Bruno Tiago8Hussain
31Kieszek21César Peixoto16Contreras18Zé Manel
37Ricardo Ferreira25Miguelito23Andrés Madrid70Lenny
  3Paulo Jorge89Stélvio15Wender
  22Anilton Júnior14Castanheira99Matheus
  26Breno17Frechaut9João Tomás
  28Rodriguez88Vandinho11Philco
  35Vítor Hugo10João Pinto20Jaílson
    40Abdou29Linz
Instabilidade no final de cicloJorge Carneiro

O Braga terá sido o grande fracasso da presente época: partindo para o campeonato novamente com objectivos de qualificação para a Liga dos Campeões, os minhotos nem a participação na Taça UEFA foram capazes de garantir, acabando por conseguir apenas uma posição na Taça Intertoto. Uma desilusão a todos os níveis, sobretudo tendo em conta a prova do seu histórico rival que logo na temporada de regresso ao escalão maior conseguiu aquilo que o Braga tentou durante vários anos: o acesso à Liga dos Campeões. Os sinais da instabilidade que se vive no clube (5 treinadores em 2 épocas) já vinham da época anterior; no entanto, a qualidade do plantel de então permitiu que a equipa ainda assim repetisse o 4º lugar das épocas anteriores. Pelo contrário esta época foi o descalabro, com um grupo repleto de jogadores à procura de relançar a carreira como César Peixoto, Jorginho, e mais tarde Contreras e Miguelito entre muitos outros, no entanto, nem se pode dizer que o Braga tenha começado mal a época, embora com alguma irregularidade exibicional, a equipa sobretudo depois da saída de Jorge Costa, pareceu ter estabilizado, com exibições seguras sobretudo na Taça UEFA, mas também no campeonato, onde aos poucos a equipa foi-se aproximando dos lugares que ambicionava, mas subitamente tudo se desmoronou, após a vitória em Paços de Ferreira, que colocou a equipa a apenas 2 pontos do 3º lugar, os bracarenses encadearam uma série terrível de 9 jogos sem vencer, que só culminou com a vitória na Madeira sobre o Nacional, à qual se seguiu uma outra vitória bastante convincente na recepção à Naval, que deixou a equipa no 6º lugar, a apenas 4 de Vit. Setúbal e Sporting, poderia ser o início de uma recuperação, mas a irregularidade voltou a estar presente, nos 4 jogos seguintes, a equipa somou apenas 1 ponto, perdendo de forma inacreditável em casa com o lanterna vermelha, U. Leiria, e sendo goleado na Madeira perante um rival directo, o Marítimo, num jogo que chegou a ter controlado, estes resultados deixaram a equipa no 9º lugar, e acabaram por custar o lugar a Manuel Machado. Para as 3 últimas jornadas, foi contratado António Caldas, para tentar acabar a época de forma digna, e a verdade é que o conseguiu, fez 7 pontos nos últimos 3 jogos, o que aliado ao castigo imposto ao Belenenses (caso Meyong) valeu para conseguir o apuramento para a Taça Intertoto. Tudo indica que esta época, terá sido de fim-de-ciclo em Braga, jogadores como Paulo Santos, Vandinho, João Pinto e até Andrés Madrid, que foram importantíssimos na historia recente do clube estarão de saída, resta saber se Jorge Jesus trará a estabilidade perdida com a saída de Jesualdo Ferreira.

Momento Chave: Académica 3-3 Sp. Braga

Era um jogo aguardado com expectativa, pois Manuel Machado regressava a uma casa onde não tinha sido feliz e onde guardava alguns ressentimentos pela forma como o seu trabalho não fora reconhecido. no entanto, poderia claramente ter evitado as deselegantes declarações proferidas, onde classificou os plantel da Académica como \"Bacalhau\", acrescentando ainda que com \"Bacalhau não se pode fazer uma refeição de Lagosta\". Após estas declarações, Manuel Machado \"pôs-se a jeito\", fazendo com que só uma vitória em Coimbra pudesse permitir que a sua imagem se mantivesse, e essa vitória esteve prestes a acontecer, num jogo bastante emotivo, com duas reviravoltas no marcador, o Braga parecia levar a melhor vencendo por 3-2 já muito perto do final, no entanto um golo de Joeano já nos descontos, custou 2 pontos, impediu que a equipa virasse a primeira volta no 4º lugar ex-aequo com o seu rival de guimarães, e mais importante que tudo terá afectado definitivamente a imagem de Manuel Machado no seio da equipa.

Estrela: Linz

Linz apontou 11 golos no campeonato, um registo que não sendo mau também não é nada do outro mundo. No entanto existiram duas circunstâncias esta época que justificam a presença do Austríaco nesta rubrica: a primeira prende-se com a baixa produtividade geral da equipa, onde nenhum dos seus colegas se destacou de forma sensível (exceptuando talvez João Pereira); e segundo a sua produtividade na Taça UEFA, onde era na viragem do ano um dos melhores marcadores com 5 golos nos primeiros 6 jogos. Linz é um jogador com qualidade e já demonstrou potencial para poder fazer mais ainda do que nestas duas últimas épocas, algo que o Braga certamente agradeceria. Só que a sua continuidade no clube depende e muito do que produzir no Euro\'2008, e se as coisas lhe correrem bem nessa competição será difícil aos minhotos conseguirem manterem-no.

Revelação: João Pereira

Lateral direito de raiz, João Pereira começou a surgir como extremo-direito no plantel principal do Benfica por indicação de José António Camacho, só que após algumas boas exibições iniciais foi perdendo fulgor, dando a ideia de que a sua estrela se estava a apagar. Após a dispensa do Benfica, foi no Minho que João Pereira se reencontrou enquanto futebolista, primeiro regressando à sua posição de lateral direito no Gil Vicente e posteriormente alcançando protagonismo nos arsenalistas. Cumprindo satisfatoriamente - mas com muita garra - as sua tarefas defensivas foi no plano ofensivo que João Pereira mais se destacou, sendo muitas vezes o único capaz de provocar desiquilíbrios nas defensivas adversárias. Sendo ainda bastante jovem e com potencial para explorar, parece estar de saída de Braga para um clube de maior dimensão.

Decepção: João Tomás

Dada a época pobre que o clube realizou não faltavam candidatos sérios a esta rubrica, mas a escolha de João Tomás justifica-se por ser provavelmente aquele de quem mais se estava à espera, pois regressava de uma época bastante proveitosa no Qatar (que o levou inclusive a ser convocado de novo para a Selecção) para um clube no qual tinha apontado 27 golos em dois campeonatos. No entanto João Tomás passou grande parte da época lesionado, e quando apto nunca conseguiu ser uma alternativa credível a Linz, sendo muitas vezes suplantado até por Jaílson na corrida ao lugar de ponta de lança. Somou apenas 10 jogos (apenas 3 como titular) e apontou um só golo, a curtos 5 minutos do final do campeonato. Uma excelente cabeçada ao ângulo que permitiu ao Braga a entrada na Taça Intertoto, e que lhe poderá valer a renovação do contracto por mais uma época.


Quem somos1 Contactos Agradecimentos Detectou um erro ou tem uma sugestão?
ForaDeJogo.net 2010